#55 - O Sh*ft Festival agora é open source

Ou open collaboration, se você quiser usar o termo certo

Hey!

Não vou nem falar nada aqui hoje pois eu quero que você leia a primeira matéria publicada. :P

Espero que você esteja bem.

Equipe Sh*ft Festival ✌️


Vamos criar algo novo juntos?

Decidimos transformar o Sh*ft Festival em algo que não sabemos como vai funcionar, mas que vai nascer de forma colaborativa. A partir de agora ele (e todos os seus produtos) fazem parte do Sh*ft Collab, um projeto open collaboration, onde todas as nossas informações serão abertas e acessíveis para qualquer pessoa.

O Sh*ft Collab é a transformação de um evento de criatividade em algo muito maior. Uma comunidade que acredita no poder da colaboração e que juntos fazemos mais. O Sh*ft nasceu com o objetivo de transformar a cabeça das pessoas a pensarem diferente, em uma cidade onde pouca coisa acontece. Mas o resultado foi tão positivo que queremos cada vez mais, que pessoas de todo o país se juntem a nós para participar do evento.

O nosso primeiro passo é realizar um evento colaborativo e gratuito, para criarmos juntos o manifesto do evento. Será dia 09/03, às 19h. Após isso, iremos fazer o lançamento oficial e colocar no ar o convite para quem quiser ser um voluntário e ajudar o evento a acontecer.

Esperamos você lá! :)


Madeira transparente é o futuro

Pois bem, cientistas descobriram que jogar alguns produtos químicos pode fazer a madeira ficar transparente. Até então era um processo caro e que era difícil de reciclar, mas um novo processo pareceu promissor, mais econômico e sustentável. As madeiras transparentes lidam muito melhor com a luz do sol, protegendo mais que o vidro.

A ascensão das newsletters

Assim como nós, muitos outros canais investem em newsletters como um meio de comunicação com seu público. Esse "novo" (velho) canal, tem crescido muito com plataformas como o Substack (que usamos aqui), o Revue (adquirida pelo Twitter), o próprio Mailchimp e o anúncio recente de que o Facebook também quer entrar na jogada.

Um brinquedo que ensina o conceito de programação sem ter nenhuma tela

Ele vem com um "computador Mochi", blocos de código e um ursinho de pelúcia. A criança utiliza histórias para montar as peças seguindo uma lógica que faz o boneco andar e realizar ações.

Crie a sua própria Lu da Magalu

Citamos que todas as marcas vão ter um mascote em 3D no episódio #08 do nosso podcast, e agora ficou ainda mais fácil. A Unreal Engine lançou o MetaHuman Creator, uma ferramenta que permite qualquer um criar um humano digital super realista.

O lugar ideal para encontrar referências

Todo mundo sabe que todo designer que se preze precisa de boas referências. O Same Energy é um aplicativo onde você pode escolher uma imagem e ele busca diversas imagens semelhantes baseados em buscas no Pinterest. Você também pode enviar a sua própria imagem para buscar outras semelhantes. Dá pra perder algumas horas ali.

O SEO está acabando com a internet

Também falamos sobre isso no nosso podcast de "tendências" para 2021. Precisamos iniciar urgentemente um movimento para acabar com as páginas que escrevem conteúdos para robôs, somente para ficar em primeiro lugar nas buscas. Queremos conteúdo de verdade!

Eu não estou nem ai para os cookies

Se você está cansado das popups que avisam "este site possui cookies", essa extensão do Chrome é para você. Ela bloqueia a maioria dessas popups e você nunca mais verá elas.

Sinto falta do meu bar

Se você está passando pela pandemia do jeito certo, provavelmente está há mais de 1 ano sem ir em um bar. Esse site simula o ambiente dele pra você matar a saudade (só faltou o cheiro de cerveja).

Este cara ganhou mais de U$16 mil dólares dormindo (ou tentando)

A ideia foi até simples. Ele colocou uma câmera enquanto dormia e para que a pessoa atrapalhasse o sono dele, teria que fazer alguma doação. Podia mandar alarme de relógio, latidos de cachorro ou apenas tocar uma música muito alta.

Bora criar uma internet com consentimento?

Este documento se baseou na definição de consentimento sexual do Planned Parenthood's e criou um "consentimento tech" e é bastante relacionado com a ideia de privacidade digital. Os 5 pilares formam a palavra FRIES em inglês, são eles: gatuito, reversível, claro (ou informado), entusiástico e específico.


Rapidinhas 🤙


Sh*ft Festival em Podcast 🎧

O que é uma pesquisa de tendência? Quem usa uma pesquisa de tendência? E como se alimenta uma pesquisa de tendência? São usadas bolas de cristal?

Ouça agora

O mundo das Pesquisas de Tendência - Sh*ft em Podcast 🎧

O festival de criatividade que você participa enquanto ̶e̶s̶p̶e̶r̶a̶ ̶n̶a̶ ̶f̶i̶l̶a̶ ̶d̶o̶ ̶C̶l̶u̶b̶h̶o̶u̶s̶e̶, limpa todo o glitter espalhado pela sua sala.

No episódio passado, baseamos nossas previsões para 2021 nas vozes das nossas cabeças, mas hoje a gente vai falar sério (mas nem tanto assim)!!! E para isso, trouxemos profissionais de verdade pra essa conversa!

O que é uma pesquisa de tendência? Quem usa uma pesquisa de tendência? E como se alimenta uma pesquisa de tendência? São usadas bolas de cristal?

Para responder essas e outras perguntas, trouxemos a Taís Mendes Lucena e o Junior Vendrami, da Bubbless para explicarem pra gente o que é essa tal pesquisa de tendência.

Já está lá no SpotifyApple Podcasts ou o seu agregador preferido!

Ouça agora!


Assine a newsletter do Shift: https://shiftfestival.cc/


Apresentação: Amanda Melchert (@melchertamanda) e Suellen Quintino (@suellenquintino)
Idealização: Gabriel Nunes (@gabrnunes)
Edição: Alan Marcos (alanmarcosssss@gmail.com)

#54 - As redes sociais deveriam se inspirar mais em locais públicos

Hey!

Hoje tentei escrever um texto maior sobre a matéria principal. O que achou? Deixe um comentário e vamos conversar :)

Leave a comment

Espero que você esteja bem.

Equipe Sh*ft Festival ✌️


O que as redes sociais podem aprender com os espaços públicos?

Quando você vai até um local público é possível identificar alguns padrões entre todos: placas, bancos, entradas e saídas. Esse conjunto de padrões e regras faz a gente participar ativamente do espaço e até cuidar dele. E esse padrões não acontecem por acaso, eles são design.

E se a gente pensar em criar nossos espaços digitais da mesma forma? A New Public fez uma grande pesquisa e chegou em um resultado ideal: um “espaço público digital” precisa ser um lugar seguro para todos, que conecta as pessoas, ajudam elas a entenderem o mundo ao seu redor e fazem elas agirem juntas.

O ideal é que toda rede social seja dividida em 4 blocos: boas-vindas, conexão, compreensão e ação.

O bloco de boas-vindas não é só a tela de cadastro ou uma campanha de marketing para conseguir novos usuários, ele tem como objetivo entender se aquele local mostra que todo mundo se sinta convidado a participar, que as pessoas tenham uma experiência segura e que permita que as pessoas se expressem sem comprometer sua identidade e seus dados.

O nome do bloco de conexão já diz tudo. Mas não pense que a conexão é apenas adicionar amigos e ter um chat. O espaço cultiva o senso de pertencimento? Ele encoraja que grupos que geralmente não se conectam possam trocar experiências? Ele consegue fazer com que as pessoas sejam ouvidas por quem está na posição de poder? Aqui vai muito de encontro com a ideia de criar uma comunidade.

Uma coisa é certa: nós não precisamos concordar com os outros. Porém nossos espaços digitais precisam fazer as pessoas entenderem um ao outro e prover um contexto que faça essa informação ficar mais clara. É necessário ter um cuidado especial para evitar que o espaço não seja usado apenas por um grupo dominante. O bloco de compreensão quer que, além de tudo isso, visa buscar um espaço democrático para todos.

E por último, mas não menos importante, o bloco de ação. Depois que um espaço digital está preparado para que todos possam se expressar, se conectar e não exclui ninguém ele precisa ajudar as pessoas a agirem e fazer algo de bom na vida real. O espaço está preparado para que as pessoas usem suas habilidades para ajudar a vida de outras pessoas e melhorar a sociedade?

Em meio a tantos problemas nas redes sociais (estou falando com você Marcos Zuckerberg) como a difusão de fake news, o aumento nos problemas de saúde mental de quem as usa, vícios, aumento do radicalismo, por que não tentar aprender com uma espaço público real?

Você pode calçar esse tênis sem usar as mãos

O novo lançamento da Nike possui um design diferentão e funcional, é só colocar o pé dentro e pisar que ele se encaixa no seu pé. Eu não vou precisar pois deixo meus tênis já amarrados e mais largos, assim eu só calço eles colocando o pé mesmo.

Carregador sem fio e pelo ar

É o objetivo do novo carregado da Xiaomi. São 144 antenas que transmitem energia pelo ar e que são captadas pelo celular. Por enquanto ele não tem um alcance e nem velocidade muito grande, mas já imaginou no futuro? Se toda casa e estabelecimento tiver carregadores assim, ninguém mais precisará carregar celular.

Uma inteligência artificial que está escrevendo notícias do futuro

Neste momento, o robô já está em março, tentando prever o que irá acontecer baseado em nada, só chutes.

Uma bola de futebol que você mesmo monta (e não precisa encher)

O objetivo do projeto é que pessoas sem condições de terem uma bomba para encher a bola possam ter uma boa (que quica e não é quadrada).

A obra ‘A moça com brinco de pérola’ em altíssima resolução

O arquivo tem mais de 10 bilhões de pixels e você pode dar zoom e ver todos os detalhes da tinta e pincel, além de algumas partes em 3D.

Netflix cada vez mais inspirado na TV

Agora no Netflix você poderá apertar em um botão de “aleatório” e verá uma série ou um filme do catálogo deles.

Se você estiver na Coréia, vai poder comprar uma capinha retrô pro seu fone de ouvido sem fio

Os novos Galaxy Buds, da Samsung, agora tem uma capinha que parece um celular da Nokia dos anos 2000.


Rapidinhas 🤙


Sh*ft Festival em Podcast 🎧

A partir de fontes apuradas (Arial 12) e muita análise embasada nas vozes das nossas cabeças, Gabriel NunesFlávia CarvalhoAmanda Melchert e Suellen Quintino soltam suas previsões para 2021 sobre marketing, design, tecnologia e cultura pop.

Ouça agora

As previsões mais malucas para 2021 do Sh*ft em Podcast

O festival de criatividade que você participa enquanto c̶o̶r̶t̶a̶ ̶a̶ ̶u̶n̶h̶a̶ ̶d̶o̶ ̶p̶é̶, e̶s̶t̶e̶n̶d̶e̶ ̶a̶ ̶r̶o̶u̶p̶a̶ ̶n̶o̶ ̶v̶a̶r̶a̶l̶, espera sua vez na fila da vacina.

A partir de fontes apuradas (Arial 12) e muita análise embasada nas vozes das nossas cabeças, Gabriel Nunes, Flávia Carvalho, Amanda Melchert e Suellen Quintino soltam suas previsões para 2021 sobre marketing, design, tecnologia e cultura pop.

Investidores, fiquem de olho 👀

Já está lá no SpotifyApple Podcasts ou o seu agregador preferido!

Ouça agora!


Indicações do episódio:
Assine a newsletter da Teken - Palavrinha: https://www.teken.com.br/
Assine a newsletter do Shift: https://shiftfestival.cc/


Apresentação: Amanda Melchert (@melchertamanda) e Suellen Quintino (@suellenquintino)
Idealização: Gabriel Nunes (@gabrnunes)
Edição: Alan Marcos (alanmarcosssss@gmail.com)

#53 - Um tamagochi golfinho que te ajuda nas tarefas de hacker do dia a dia

Hey!

Estamos planejando uma edição online do Sh*ft Festival (mas calma, não será um evento chato e sem graça).

No momento estamos buscando patrocinadores para tirar a ideia do papel. Se você é, das pessoas que sempre lê essa mensagem que o seu querido editor escreve e tem uma empresa que quer aparecer nessa super edição online, pode enviar um e-mail para patrocinios@shiftfestival.cc que te enviamos nosso mídia kit.

Espero que você esteja bem.

Equipe Sh*ft Festival ✌️


Um Tamagoshi para hackers

O Flipper é um dispositivo que pode salvar as informações da sua tag RFID, controlar dispositivos, controles infravermelho ou ser usado como chave de autenticação de 2 fatores. Ele também é um golfinho que fica bravo se você não usar ele.

O jogo do ano

Literalmente esse é o jogo do ano. O 2020 Game é um jogo de plataforma, bem simples, mas que resume o ano de 2020 onde muita coisa aconteceu. Em 15 min você zera, vai lá jogar.

O cubo mágico 2.0

O Wowcube é um cubo mágico de 2x2 quadrados, mas que cada quadrado é uma tela. Existem alguns jogos diferentes que você pode jogar e ele é todo interativo.

As fotos mais bizarras do ano

O mundo é muito bizarro e, em um ano de pandemia, muita mais coisa bizarra aconteceu, como: orquestra sendo tocada para plantas, pessoas fazendo exercícios dentro de bolhas de plástico e pessoas usando máscaras estranhas.

Por uma internet que seja menos shopping

Hoje tudo na internet virou venda né? Já parou pra pensar? Mas um novo movimento surge para que as pessoas tenham uma relação mais ativa/saudável com a internet do que sejam impactados de alguma forma para comprar algo.

O código como intervenção artística

Creative Code é o nome dado quando você usa código para se expressa artisticamente. É a união de humanas e exatas.

Finja que a sua internet está ruim

A reunião tá chata? Agora você tem uma salvação: instale este aplicativo no seu computador, e para ativar ele e é só clicar na tela que ele fará sua webcam e o som travar.

As melhores ferramentas de design

O relatório traz o resultado de uma pesquisa feita com profissionais de UX, design gráfico, web design e outros. Um spoiler: o Figma foi o grande vencedor do ano.

Arrase na legenda

[Ativar voz do Tabajara] Tá difícil escrever uma descrição na foto no Instagram? Seus amigos não curtem mais suas fotos? Não está mais encontrando frases motivacionais para suas fotos? Seus problemas acabaram! Use agora o Capme+ e tenha legendas para suas fotos geradas automaticamente por uma inteligência artificial.


Rapidinhas 🤙

Loading more posts…